quarta-feira, 21 de outubro de 2020

I Fórum de Educação & Cultura


 

Excelente bate papo com os colegas Mauro Ventura e Luciano Cunha, brilhantemente mediado por Cassia Queiroz, sobre as dificuldades da produção cultural no Brasil. Confira o trabalho desenvolvido durante  todo o Fórum neste link e a participação do editor da BKCC, Dennys Andrade, no vídeo acima.

quinta-feira, 15 de outubro de 2020

Entrevista com o escritor Dennys Andrade, autor da coleção 'Pequeno Teatro'

 

Entrevista do escritor Dennys Andrade para a Revista Terça Livre


*Por Leônidas Pellegrini (Revista Terça Livre),

Um dos fatores que o professor Olavo de Carvalho aponta como direta e intrinsecamente relacionado à decadência do pensamento e da cultura ocidentais é a crise de sua literatura. No Brasil, Olavo avalia que, após a década de 60, a decadência da literatura é patente, sendo que bons autores tronam-se cada vez mais difíceis de se encontrar, constituindo “ilhas” em meio a um mar de mediocridade. 

Essa realidade também se reflete na literatura infanto-juvenil, território em crise há algum tempo, e que vem sendo invadido por ativistas, lacradores e youtubers charlatães. Como filho de um escritor que possui uma vasta obra infanto-juvenil e professor de língua portuguesa que trabalhou por dez anos (de 2009 a 2019) com o ensino fundamental, vejo com preocupação os livros que têm sido destinados às escolas e, principalmente, os adotados por muitos professores (obras que revelam uma preocupação muito maior com o levantamento de “debates” para fomentar o “pensamento crítico” que em despertar o gosto pela leitura). 

As crises, no entanto, podem suscitar reações que inspiram esperança. É o que vejo no escritor Dennys Andrade, com quem tive contato por meio de meu amigo Giorgio Cappelli. Pai de duas crianças e um adolescente, após uma valiosa experiência com a política partidária e um período de silêncio e estudo, Dennys viu-se inspirado pelos mestres Olavo de Carvalho e Homero a iniciar um projeto de vida visando à reabilitação de valores possivelmente perdidos no imaginário das novas gerações. 

Com isso, nasceu a coleção Pequeno Teatro, que já conta com dois volumes: “Civilização Ocidental” (inspirado nos escritos de Olavo) e a adaptação de Homero “Ilíada e Odisseia”, peças para serem encenadas por alunos do ensino fundamental (à venda na Livraria Terça Livre, link ao final). 

Em entrevista exclusiva à Revista Terça Livre, Dennys Andrade falou sobre sua formação, influências e trajetória intelectual, assim como sua visão da crise no mercado editorial infanto-juvenil e seus planos editoriais. Confira abaixo.

Terça Livre: Dennys, em primeiro lugar, gostaria de saber sobre sua formação como leitor e como escritor, suas principais referências, etc.

Dennys Andrade: Minha família costumava passar os finais de semana na casa de minha avó paterna, em Santa Isabel. Como uma forma de controlar os filhos nessas viagens curtas, meu pai enchia os filhos de gibis. Eu acompanhava as imagens e fazia a associação com as letras. Quando os gibis já não davam mais conta, vieram as revistas, que se transformaram em edições dominicais grossas do Estadão. Virei um leitor devorador. Já adolescente, meus favoritos eram Isaac Asimov, Machado de Assis e Oscar Wilde, cuja tradução de Oscar Mendes é, até hoje, minha referência de como a língua portuguesa pode ser maravilhosamente bem escrita.

Formei-me em Geografia na USP e, apesar de o gosto por filosofia e política, passei ileso. Entrei para o partido NOVO após as “jornadas de julho”, quando comecei a escrever o blog “30 Diários”, como uma forma de juntar informações sobre o partido e de discorrer sobre formação política. À mesma época, comecei a acompanhar o True Outspeak e a ler as obras de Olavo de Carvalho. Com o blog, aglutinei muitas pessoas e também questionamentos em relação ao partido, que levaram, por fim, ao colapso do diretório paulista e à primeira deserção em massa dos filiados, em agosto de 2016.

Desde então, seguindo os conselhos de Olavo, comprometi-me a parar de escrever (besteiras) e me dedicar apenas à leitura. Assim foi até 2019, quando uma confluência de fatores propícios me levaram a publicar a primeira obra voltada para o público infanto-juvenil, o “Civilização Ocidental”. 

Terça Livre: Tenho uma experiência de 10 anos trabalhando com ensino fundamental, e tenho uma visão bem clara da crise pela qual passa tanto nossa produção infanto-juvenil como a escolha das obras para leitura dos alunos, que muitas vezes são destinadas a ocasionar o “pensamento crítico” do que o gosto pela leitura. Gostaria que você comentasse sobre essa situação. 

Dennys Andrade: Sabemos dos fatores que nos trouxeram até aqui, mas não adianta ficar discorrendo sobre os efeitos sem tratar da solução. O primeiro passo já foi dado, que é ter consciência do problema que foi tratar a educação como um ato político. O passo seguinte, para alterar essa realidade, passa pela produção de uma literatura de qualidade e pela criação de canais que possibilitem a essa produção encontrar o seu público. De nada adianta ter a ciência da necessidade e não encontrar os insumos para supri-la. 

Para conseguir publicar e viabilizar comercialmente o primeiro volume da coleção Pequeno Teatro, destinado ao ensino fundamental, foi necessário realizar um verdadeiro périplo atrás de licenças, carimbos, senhas, registrando e pagando taxas, tendo que virar perito em legislação tributária para poder emitir uma simples nota fiscal. Não é sem fundamento que boas iniciativas pessoais simplesmente morrem em seu nascedouro. 

Para quem atravessa a selva da burocracia e assume o investimento por conta e risco, existem os canais privados como a Amazon, o Mercado Livre e os nacionais, como a B2W (Submarino, Americanas etc). É quando a sua produção é exposta que surge a realidade mercadológica: se ninguém conhece, ninguém lê. Aí é que entra em cena o ator mais importante – de longe! - da atual conjuntura cultural brasileira: o CEDET. O trabalho de César e sua equipe, “desburocratizando” o acesso dos brasileiros à produção literária de qualidade, abriu a porta do que é bom e de qualidade para o mercado nacional e será responsável por um enorme impacto positivo na sociedade a médio prazo, mais do que qualquer outra iniciativa “pública”.

Terça Livre: Gostaria que vocês nos falasse um pouco sobre sua proposta com a coleção Pequeno Teatro, e também sobre seus livros já lançados nessa coleção. Qual foi a motivação para escrevê-los, sua gênese e desenvolvimento, etc.

Dennys Andrade: Como eu já comentei para a Bruna Torlay, a coleção surgiu com a proposta de religar, de abrir as portas dos clássicos para os alunos. Estamos formando adultos para uma sociedade cada vez mais complexa e especializada, cujas áreas de atuação (religião, artes, política, etc) são praticadas de forma cada vez mais isoladas, ou seja, sem comunicação uma com as outras. O próprio conceito de arte abstrata (década de 50) surge como um reflexo dessa separação. Essa arte, separada de qualquer outra ligação que lhe dê substância, é extremamente pobre. Olavo, em seu livro Dialética Simbólica, afirma que o homem moderno não consegue raciocinar analogicamente, pois quando você cria um objeto sem significado você nega as analogias e os simbolismos. E o que o homem (o aluno) não entende, sem a dialética simbólica, ele vai abstraindo. 

A motivação da obra foi a necessidade de apresentar aos jovens os nossos valores mais caros: bravura, compaixão, ética, justiça e lealdade, fazendo a religação desses símbolos com os seus significados reais  utilizando exemplos de ações e, uma vez concretizada essa ligação, abrir o caminho para que eles apliquem e os transmitam da forma correta. Poucos autores fazem essa “transmutação” da experiência real, de expressar o referente (o fato) em palavras com excelência. É aí que entram os clássicos, pois eles conseguem fazê-lo de maneira inigualável.

São dois os volumes já lançados: “Civilização Ocidental” e “Ilíada e Odisseia”. O primeiro foi inspirado no texto “História de quinze séculos” do Olavo, no qual o professor abusa do seu poder de síntese e resume magistralmente toda a nossa herança civilizatória em menos de 700 palavras! Minha ideia foi dissecá-lo em tópicos temporais, unindo e contextualizando os capítulos por uma linha narrativa e utilizando da performance teatral para reforçar a absorção do conteúdo pelos alunos. Tudo acompanhado pelas belíssimas ilustrações de Pedro Lorenzo, talentosíssimo artista londrinense.

Com a excelente repercussão do primeiro volume e de seu formato, voltei-me para a adaptação dos maiores cânones da literatura ocidental: Ilíada e Odisseia. Foi uma aventura deliciosa mergulhar de cabeça, não apenas nos dois livros, mas também poder adicionar o “Proêmio”, um capítulo extra que antecede os demais e detalha todos os eventos que antecederam e que desencadearam as duas obras homéricas. O resultado foi um livro levíssimo, nas palavras da Bruna: “uma tradução para o público infanto-juvenil, fidelíssimo ao aspecto principal dos poemas: a excelência constante, ou, energia vigorosa da primeira à última sílaba.” 

Terça Livre: Como você já trabalhou com uma adaptação das obras Ilíada e Odisseia para o público juvenil, gostaria que nos falasse como vê a questão das adaptações de clássicos da literatura para o mercado infanto-juvenil. 

Dennys Andrade: O mercado literário infanto-juvenil sofre com a recente invasão dos famosos “youtubers” e sua disputa desmesurada por ‘likes’. Como pai de duas crianças e um adolescente, eu procuro controlar o conteúdo que chega até eles, sempre dando o exemplo, praticando a leitura juntos e oferecendo conteúdos que lhes prendam a atenção. Ainda assim, é impossível controlar tudo o que eles consomem, pois, muito vem através dos amigos e colegas.

Por esse motivo, é importante haver opções de qualidade para se fazer a devida introdução aos clássicos, às grandes ideias, ou que entrem em conflito com o viés marxista predominante. A boa notícia é que estão começando a surgir bons projetos voltados para o segmento infanto-juvenil. Posso citar a “Turminha da Liberdade” (Miotto, 2018), a HQ “Austrinho” (IFL, 2018), a série “Desbravando o mundo livre” (IL, 2019) e as HQs de Luciano Cunha: Doutrinador (Cinema e TV, 2018) e Destro (Super Prumo, 2020). 

A demanda existe, mas faltam produtos literários acessíveis a esse grupo etário, especialmente aqueles focados  diretamente no âmago dos valores conservadores, coisa que tanto a obra de Olavo de Carvalho quanto os clássicos literários, fazem com perfeição. A adaptação da “Ilíada e Odisseia” para o teatro do ensino fundamental foi apenas a ponta do iceberg.

Terça Livre: Poderia nos dizer quais serão as próximas adaptações da coleção Pequeno Teatro e os projetos da sua editora, a BKCC Livros?

Dennys Andrade: As publicações vão seguir um calendário baseado nas próximas efemérides comemorativas, para aproveitar o interesse natural do público e da mídia. Para 2021, teremos o lançamento da adaptação teatral da “Divina Comédia”, em comemoração aos 700 anos da primeira edição de Dante Alighieri (1321). Em 2022, será a vez de oferecer “Os Lusíadas”, em comemoração aos 450 anos da obra de Luis de Camões (1572). Também para 2022, laçaremos um volume especial em comemoração ao Bicentenário da Independência do Brasil. A ideia é fazer a garotada subir nos tablados para interpretar um Dom João VI, um Dom Pedro I, uma Princesa Leopoldina, José Bonifácio, enfim, criar uma obra digna, que seja realmente um ponto cardeal na mudança cultural que desejamos. Outros cânones e passagens históricas nacionais também estão na lista.

Quero aproveitar a parceria oferecido pelo CEDET e a possibilidade de focar apenas no que realmente interessa: conteúdo de qualidade. Então, a ideia é abrir as portas da editora para novos autores, com boas obras, orientadas para o público-alvo da editora – o infanto-juvenil. Nessa linha, já temos algo planejado para os próximos meses, que é um livro que fala sobre “Heróis e Gênios”, brilhantemente organizado pelo manauara Leandro Flaiban. 

Outras frentes incluem a publicação de cadernos de atividades vinculados aos volumes da coleção Pequeno Teatro e a criação de pequenos cursos e/ou adaptações das obras para o formato de uma série de pequenos vídeos animados, por meio de uma grande parceira, de enorme sucesso na produção de conteúdo audiovisual.

 

Fonte / Leia o conteúdo completo da Revista Terça Livre (edição 66) em:

 

****

Coleção Pequeno Teatro (BKCC) na Livraria do Terça Livre:

https://livraria.tercalivre.co...

Sites e Redes:

BKCC Livros: www.bkcc.com.br

Facebook BKCC: https://www.facebook.com/bkccl...

Youtube BKCC: https://www.youtube.com/channe...

Instagram autor: @dennbra

Facebook autor: https://www.facebook.com/andra...

quarta-feira, 7 de outubro de 2020

LIVE - Literatura infantojuvenil no Canal da Articulação

Episódio com participação de Simone Segato e Antônio Carlos, que recebem os convidados Eduardo Bugs e Victória Jardim - coleção Desbravando o Mundo Livre e Dennys Andrade - coleção Pequeno Teatro. Um bate-papo sobre livros infantojuvenis inspirados em obras clássicas.

 


 

Coleção "Pequeno Teatro", disponível na livraria da Bruna Torlay:

  https://livrariabrunatorlay.com.br/index.php?route=product/author&author_id=5791

 

 

segunda-feira, 7 de setembro de 2020

LIVE com Bruna Torlay - Difusão da cultura clássica NA PRÁTICA



 Conversa agradabilíssima com a Bruna. Falamos sobre os clássicos e o papel da alta cultura na educação dos jovens brasileiros.

 

 Links para a coleção PEQUENO TEATRO da BKCC: 



Livro "Civilização Ocidental":
https://www.amazon.com.br/dp/8565766187

Livro físico do "Ilíada e Odisseia":
https://livrariabrunatorlay.com.br/pequeno-teatro-da-iliada-e-odisseia

eBook do "Ilíada e Odisseia":
https://www.amazon.com/-/pt/Odisseia-completo-fundamental-Pequeno-Portuguese-ebook/dp/B08F3RQDRC/ 

 

quarta-feira, 26 de agosto de 2020

Revista Esmeril (ago20) - Ilíada e Odisséia ganham adaptação inédita para o teatro infantil

Ilíada e Odisseia - Revista Esmeril (ago20)

 

A edição de agosto da Revista Esmeril contempla a obra "Teatro escolar completo - Ilíada e Odisséia", de Dennys Andrade. Trata-se de uma adaptação ágil, competente e emocionante dos maiores clássicos da literatura grega: a Ilíada e a Odisséia, de Homero. Em três partes, o autor reconta todos os episódios que compõem a dupla saga grega: a guerra de tróia e o retorno de Ulisses para casa. 

Se você é professor de História, Literatura ou primeiros anos do ensino fundamental, é OBRIGATÓRIO ter essa jóia como recurso.

Trecho da matéria, de Bruna Torlay:

Homero é uma espécie de profeta das formas. Não há como apreciar a arte da poesia sem voltar-se o tempo inteiro às epopéias do rapsodo mais celebrado da Grécia antiga. Perdi a conta das versões de Homero, em português ou em outros idiomas, que leio desde os 19 anos, quando a tradução peculiar que fez Odorico Mendes da Ilíada trouxe o épico grego para dentro da minha alma.

A adaptação de Dennys Andrade, competente redução dos principais episódios e premissas mitológicas que marcam a Ilíada e a Odisséia, consegue traduzir Homero para o teatro e para o público infanto-juvenil ao mesmo tempo, fidelíssimo ao aspecto principal dos poemas: a excelência constante, ou energia vigorosa da primeira à última sílaba. O texto é impactante e comove o leitor de qualquer idade, mesmo aquele que conhece Homero de cor.

Leia a reportagem completa no site da REVISTA ESMERIL, em https://revistaesmeril.com.br/category/agosto-2020/

 


 

segunda-feira, 24 de agosto de 2020

LIVE com Camila Abdo

Camila Abdo - " Nós sabemos como é importante estimular a imaginação das crianças e, infelizmente, a televisão e o celular estão prejudicando na formação da imaginação positiva dos nossos pequenos. Dennys Andrade, editor da editora BKCC, dá dicas de livros e jogos para que os pequenos se divirtam e desenvolvam." 

 

 

 Links para a coleção PEQUENO TEATRO da BKCC: 



Livro "Civilização Ocidental":
https://www.amazon.com.br/dp/8565766187

eBook do "Ilíada e Odisseia":
https://www.amazon.com/-/pt/Odisseia-completo-fundamental-Pequeno-Portuguese-ebook/dp/B08F3RQDRC/ 

Livro físico do "Ilíada e Odisseia" (campanha na Kickante):

https://www.kickante.com.br/campanhas/civilizacao-grega-iliada-odisseia

 

 

 

sábado, 18 de julho de 2020

Final da LIVE com Davi Oliveira, lançamento do livro!

Final da LIVE com Davi Oliveira, lançamento do livro:

ILÍADA e ODISSEIA
Teatro completo para o ensino fundamental.

- Pergunta para o autor: "Por que adaptar os clássicos?"




Pré-venda do livro em: 

 

quarta-feira, 15 de julho de 2020

Adaptação de ILÍADA e ODISSEIA para o teatro do ensino médio


ILÍADA e ODISSEIA

~ Teatro Completo para o Ensino Fundamental  ~



Livro Pequeno Teatro da Ilíada e Odisseia - Teatro Completo para o Ensino Fundamental - Dennys Andrade - BKCC Livros

POR QUE ADAPTAR UM CLÁSSICO PARA O TEATRO JUVENIL?

Os clássicos permitem que pessoas se identifiquem com outras pessoas, de outras épocas, que por mais diferentes que sejam, sempre, sempre existirá um ponto de contato, uma conexão que permita ao leitor / ator/ espectador se colocar na posição de um corajoso Aquiles, um charmoso Paris, um nobre Heitor, um esperto Odisseu ou um reto Eneas; uma bela Helena, uma poderosa Afrodite, uma ciumenta Hera, um coração partido de uma Circe ou uma Penélope apaixonada.

Quanto mais contato com os clássicos mais habilitado o jovem estará em treinar a sua criatividade e a vivenciar situações imaginárias que escapam ao seu cotidiano. Conforme as ações dos personagens e o desenrolar das narrativas ele tornar-se-á capaz de presenciar (imaginativamente) situações plenas de amor, drama, ódio e compaixão; felicidade e tristeza extremas; exemplos de esperança, coragem e temperança coletivas... quanto mais personagens o jovem conhecer, maiores as possibilidades dele combiná-los para entender um novo personagem fictício ou uma nova pessoa real. Além de ampliar a sua capacidade de empatia, de compreender o próximo e não julgar o diferente, ele absorve as características em seu imenso repositório imaginativo para enfrentar as próprias situações cotidianas.


Edições Iliada e Odisseia - Livro Pequeno Teatro da Ilíada e Odisseia - Dennys Andrade - BKCC


Os clássicos servem de substrato comum à humanidade, unificando o inconsciente coletivo por meio das ideias imemoriais que eles transmitem: os mesmos saberes, as mesmas crenças e os mesmos valores, transmitidos de geração a geração, por muitos milênios. É através da leitura dos clássicos que temos contato com as mesmas virtudes que levaram Alexandre (o Grande, discípulo de Aristóteles) a disseminar a cultura Helenística pelo mundo, cinco séculos depois de Homero. Exatamente as mesmas virtudes que esse projeto visa valorizar, vinte e quatro séculos depois do próprio Alexandre Magno.

 ~

“Homens fortes, intrépidos e belos de alma, de mente e de corpo. E mesmo que não tenham sido assim, da maneira como queria a fantasia humana naqueles antigos e míticos tempos, de qualquer modo eles existiram, pois sempre houve e sempre haverá heróis. Enquanto houver covardia, haverá também bravura; enquanto houver maldade, haverá também virtude; e enquanto houver mesquinhez, haverá também grandiosidade. O mal gera o bem assim como o inverno traz a primavera. Os homens simples adoram os heróis, acreditam neles e com isso adquirem força. Essa é a força que impele para frente as gerações humanas.”
Menelaos Sthepanides


CONCEPÇÃO DO PROJETO - Teatro Completo!

Indistintamente das demais obras listadas acima, que adaptaram ou reproduziram os livros individualmente, ou até de outras publicações que unificaram as duas obras, esse livro organiza o enredo em 38 cenas, divididas em 3 partes distintas, que lhe dão forma e corpo, permitindo uma compreensão completa da trama: PROÊMIO, ILÍADA e ODISSEIA.
Em PROÊMIO o leitor encontrará as razões originárias para a trajédia troiana: o ciúme de Hera que levou à maldição de Ate, a sobrevida de Paris e o seu juízo na contenda do Pomo, o papel de Odisseu no destino de Helena e a escolha de Aquiles, bem como o início da guerra, propriamente dito.
O Ato ILÍADA abarca todo o final da Guerra de Troia, com as aventuras, desavenças e mortes que lhe são protagonistas. Nesse ato estão representadas as principais "paixões" humanas: ódio e compaixão, bravura e covardia, egoísmo e humildade.
O último ato, ODISSEIA, retrata as aventuras sem fim de Odisseu ao tentar retornar para o seu lar em Ítaca, para junto de sua amada Penélope. Representa principalmente os valores mais caros da civilização: hospitalidade, justiça, coragem, perseverança, tradição, gratidão e lealdade.

Coleção Pequeno Teatro da BKCC - Ilíada e Odisseia - Teatro Completo para o Ensino Fundamental - Dennys Andrade - BKCC Livros -

CARACTERÍSTICAS DO PROJETO

Formato:  14,0 cm x 21,0 cm.
Capa: Papel Supremo 250 g/m² 4x0 cores, fosco, com orelha.
Miolo: Papel Off Set 75 g/m² branco.
Páginas: 109.
Acabamento: PUR + Shrink Individual.
Tiragem:  Sem tiragem estipulada. A quantidade de exemplares será determinada pelo próprio crowdfunding (vaquinha virtual). O valor alvo baseia-se na aproximação do total realizado na campanha do primeiro volume da coleção (500 exemplares e R$8.860,00 arrecadados) porém, com um conteúdo quase 40% maior.


LANÇAMENTO DO LIVRO: 16 de julho de 2020

O início da pré-venda dar-se-á nesta QUINTA (16), às 19h, no canal no Instagram do amigo DAVI OLIVEIRA.

Durante o período da pré-venda, o livro será vendido exclusivamente pela plataforma da KICKANTE, pelo link: https://www.kickante.com.br/campanhas/civilizacao-grega-iliada-odisseia


segunda-feira, 6 de julho de 2020

Ato I Cena VI - A Bela Helena

Ato I Cena VI - leda-and-the-swan-1505-1510 - Leda e o Cisne - - Livro Pequeno Teatro da Ilíada e Odisseia - Teatro completo para o ensino fundamental
Lenda do nascimento de Helena: Leda (mãe de Helena) e o Cisne - Cesare da Sesto (1477–1523)


A Bela Helena
Tíndaro, rei de Esparta, desposou a formosa Leda, a qual deu a luz a Helena, tão bela, que acreditava-se a única filha mortal do próprio Zeus. Sua beleza era cantada pelos quatro cantos da terra, capaz de levar os homens a loucura e, segundo o oráculo, seria a causa de uma terrível guerra.

LEDA
Qual o problema, meu marido? Te preocupas o destino de Helena? Todos os príncipes mais importantes vieram se apresentar para desposar a nossa filha.

TÍNDARO
Será este o momento da maldita guerra? Mil vezes antes ter uma filha normal do que Helena, com sua beleza que põe o mundo em chamas! Como vou escolher entre um deles sem provocar uma tragédia? (Entra Odisseu, rei de Ítaca).

ODISSEU
Meu amigo Tíndaro, não me entendas mal, mas eu não vim para cortejar vossa filha, casar com a mulher mais linda do mundo seria antes um fardo do que uma bênção.

TÍNDARO
Vejo que é inteligente amigo Odisseu, a sua fama o precede, mas, se não veio para cortejar minha filha, o que veio procurar em Esparta?

ODISSEU
Eu quero a sua ajuda para desposar Penélope, a filha de seu irmão, Ícaro. Em troca, dou-te uma solução para o seu problema com Helena. Juro que ninguém sairá ofendido e que nenhum sangue será derramado em Esparta.

TÍNDARO
Tem a minha palavra Odisseu.

ODISSEU
Ouve então: faça com que todos os pretendentes jurem que aquele que desposar Helena será defendido por todos os outros, no caso de alguma ofensa. E tu, para agradar a todos, dirá que sua filha é livre para escolher aquele lhe mais lhe agradar.

TÍNDARO
Excelente plano Odisseu! Pois assim será, esta noite, todos farão o juramento e teremos um casamento pacífico! Muito obrigado Odisseu (Todos os pretendentes fazem o juramento e Helena escolhe o belo e rico Menelau, irmão de Agamêmnon, o poderoso rei dos micênios).


+++



Continue lendo
< Cena V  |  Cena VII >



+++
O novo livro da BKCC adapta Ilíada e Odisseia para o formato de teatro,  são 38 cenas curtas mas que contam a história inteira, ideal para o ensino fundamental. Uma peça de teatro para que adolescentes possam interpretar essa história, viver parte da nossa pujante herança cultural.






Curta a página da BKCC no Facebook

https://www.facebook.com/bkcclivros/

 

Conheça o novo lançamento da BKCC - ILÍADA e ODISSEIA!


quinta-feira, 2 de julho de 2020

Ato I Cena V - O Pomo da Discórdia

Ato I Cena V - Livro Pequeno Teatro da Ilíada e Odisseia - The Judgement of Paris - Jean-François de Troy (1679-1752)
The Judgement of Paris - Jean-François de Troy (1679-1752)
(Trecho do livro Pequeno Teatro da Ilíada e Odisseia)

O Pomo da Discórdia
Todos os deuses foram convidados para a festa de casamento de Peleu1 e Tétis, exceto Éris, a deusa da discórdia, a pedido do próprio Zeus. Como vingança, ela aparece e oferece uma maçã de ouro, com os dizeres “para a mais bela deusa”, causando terrível desavença entre Hera, Afrodite e Atena e estragando a festa, para a qual não fora convidada.

ZEUS
Parem, parem! (tapando os ouvidos) Já chega! Eu não aguento mais essas três brigando. Hermes, pegue esse Pomo da discórdia e leve as três para o alto do monte Ida. Que o filho de Príamo cumpra o seu destino e decida, de uma vez por todas, quem fica com o Pomo. Vá! (Hermes pega o Pomo da discórdia e as três seguem com ele até o Monte Ida, onde encontram Paris, sentado em uma pedra).

HERMES
Não fuja, escute Paris! (assustado com a súbita aparição) Os deuses ordenam que você entregue este Pomo para aquela que for a mais bela das deusas: Hera, Afrodite ou Atena.

PARIS
Mas eu sou um humilde pastor, não posso escolher! Não dá para cortar a maçã em três partes e entregar um pedaço a cada? São deusas, belas como nenhuma outra mulher...

HERMES
Deves escolher apenas uma, é o pedido de Zeus. (As deusas avançam, apresentando-se).

HERA
Olha-me com muita atenção (sorrindo e girando graciosamente), decida por mim e farei de você o homem mais rico do mundo.

PARIS
Obrigado, mas não posso ser comprado (Hera sai irritada e entra Atena, com seu elmo reluzente).

ATENA
És belo e inteligente, se me escolher eu farei com que seja também o mais corajoso e notável de todos os guerreiros!

PARIS
Não sou guerreiro, sou um pastor. Além do mais, temos paz aqui, no reino de Príamo. Se for a escolhida, eu lhe direi. (Antes mesmo que Atena se retirasse vem Afrodite, repleta de charme).

AFRODITE
Tu és belo e seu futuro é tão belo quanto. Eu posso te oferecer uma rainha para ser sua esposa, uma mulher tão bela como uma deusa. Quando ela te conhecer, cairá de encantos e deixará tudo para ficar contigo.

PARIS
Conte-me mais sobre ela...

AFRODITE
Seu nome é Helena, a criatura mais bela que já existiu no mundo, desejada por todos os príncipes da Hélade2 e motivo de guerra entre Atenas e Esparta, cujo rei, Menelau, a tomou por esposa.

PARIS
Meu coração já a deseja, não consigo recusar... Eu escolho a ti, Afrodite, como a deusa mais bela e a dona do Pomo! (Entrega o Pomo enquanto Atena e Hera, loucas de raiva, juram por vingança e que uma terrível desgraça cairia sobre Troia).

+++
1-  Peleu, rei da Ftia (região da Tessália), futuro pai de Aquiles.
2- Hélade é sinônimo para Grécia. Os povos históricos que migraram para essa parte da Tessália chamavam a região de Hellás, e a si mesmo de Helenos. O termo moderno Grécia e Gregos tem origem posterior, do latim.

+++



Continue lendo
< Cena IV  |  Cena VI >



+++
O novo livro da BKCC adapta Ilíada e Odisseia para o formato de teatro,  são 38 cenas curtas mas que contam a história inteira, ideal para o ensino fundamental. Uma peça de teatro para que adolescentes possam interpretar essa história, viver parte da nossa pujante herança cultural.




Curta a página da BKCC no Facebook

https://www.facebook.com/bkcclivros/

 

Conheça o novo lançamento da BKCC - ILÍADA e ODISSEIA!

quarta-feira, 1 de julho de 2020

Ato I Cena IV - O Que Não Deveria Ter Nascido

Ato I Cena IV - Livro Pequeno Teatro da Ilíada e Odisseia - Paris and Hacabe - Vincent Camuccini (1771-1844)
Paris and Hacabe - Vincent Camuccini (1771-1844)

(Trecho do livro Pequeno Teatro da Ilíada e Odisseia)

O Que Não Deveria Ter Nascido
Príamo, neto de Ilos, reinou em Troia durante muitos anos. Seu primeiro filho com a rainha Hécabe foi Heitor, que seria conhecido como o maior de todos os troianos. Seu segundo filho foi Paris, aquele “que não deveria ter nascido”.

HÉCABE
Acorde, meu marido! Anda, acorde! Tive um pesadelo horrível… sonhei que toda Ílion ardia em chamas... e tudo por culpa deste bebê, que carrego em meu ventre! Foi horrível… (continua a chorar)

PRÍAMO
Calma, meu amor, acalme-se! Essa premonição é muito séria, eu vou consultar o oráculo (Levanta-se e vai falar com o oráculo). Diga-me Oráculo, você que tudo vê e que tudo sabe, que destino espera essa criança no ventre de Hécabe? Há algo que eu precise me preocupar?

ORÁCULO
A criança que está para nascer será muito bela e uma saúde digna da linhagem real…

PRÍAMO
Que bom (aliviado). Muito me agrada saber que será uma criança saudável… mas, diga-me, o povo de Troia, correrá algum perigo?

ORÁCULO
A vida dessa criança... será a morte de Troia... se quiser salvar a cidade, deve sacrificar a criança.

PRÍAMO
Por Zeus! (desconsolado) Que assim seja. O bebê não deverá viver, ele será sacrificado. (Voltando-se para a rainha) Quando o bebê nascer eu vou pedir ao pastor Agelau para levá-lo.

HÉCABE
Nãooo… (cai ajoelhada, colocando as mãos sobre o seu ventre, em desespero)

(Assim que o bebê nasce é entregue a Agelau, com ordens para sacrificá-lo. Agelau e sua esposa contrariam a determinação e passam a cuidar da criança1 que cresce como um pastor, de grande beleza física e inteligência, dignas da linhagem real).

+++
1- Agelau e sua esposa cuidaram daquele bebê como se fosse o seu próprio, colocando-o em um cesto. Todos os cuidados voltavam-se para aquele “cesto”, de modo que o menino passou a se chamar Paris, que significava “cesto” naquele tempo.



Continue lendo
< Cena III  |  Cena V >



+++
O novo livro da BKCC adapta Ilíada e Odisseia para o formato de teatro,  são 38 cenas curtas mas que contam a história inteira, ideal para o ensino fundamental. Uma peça de teatro para que adolescentes possam interpretar essa história, viver parte da nossa pujante herança cultural.





Curta a página da BKCC no Facebook

https://www.facebook.com/bkcclivros/

 

Conheça o novo lançamento da BKCC - ILÍADA e ODISSEIA!


segunda-feira, 29 de junho de 2020

Ato I Cena III - A Fundação de Troia

(Paládio nas mãos da deusa Atena)

A Fundação de Troia
Admirado pelo desempenho de Ilos nas competições atléticas da Frígia, o rei presenteou-o com 50 homens, 50 mulheres e uma vaca. Disse-lhe para que soltasse a vaca e a seguisse, até o local onde essa tombasse. Nesse lugar, ele deveria fundar a sua própria cidade.

ILOS
Por Zeus, o que faço? Obedeço ao rei da Frigia ou ignoro as suas ordens? A vaca foi cair justamente na Colina de Ate…

NICOLAU
Não podemos levantar a cidade neste lugar Ilos, conhece muito bem a profecia, ela é bem clara: “Os homens que habitarem dentro das muralhas da cidade erguida na colina de Ate sofrerão grandes calamidades”.

ILOS
Eu conheço a profecia Nicolau, o oráculo é bastante claro, mas a deusa Atena não permitiria que o animal caísse aqui sem ter um motivo para isso. Deve haver uma razão...

NICOLAU
Será que nós entendemos corretamente o sentido da profecia? Será possível que isso seja um teste, um tipo de prova? (Ilos abaixa a cabeça e recapitula pausadamente o oráculo).

ILOS
Os homens que habitarem dentro das muralhas da cidade...”, “dentro das muralhas da cidade...” é isso Nicolau! Se não há muralhas, ninguém habitará dentro das muralhas! Vamos erguer uma cidade sem muralhas! E que Atena proteja a nossa cidade! Vamos, comecemos a cavar… (Nicolau enfia sua pá na terra e encontra um Paládio, uma pequena estatueta de madeira representando Palas, a companheira da deusa Atena).

NICOLAU
Ilos! Veja aqui o que eu encontrei enterrado no chão, um pequeno paládio! Isso só pode significar uma coisa, é o sinal de que a deusa Atenas abençoa a nossa decisão! Estamos corretos!

ILOS
Sim meu caro Nicolau! Essa é a prova de que estamos certos e de que essa cidade esta sob a proteção da deusa. Mesmo assim, eu vou consultar o oráculo sobre esse achado (Ilos vai até um oráculo, que acompanha a comitiva).

ILOS
Diga-me caro Oráculo, que tudo vê e que tudo sabe, será esse Paládio uma prova da benevolência da deusa Atena com a nossa decisão de aqui erguer a minha cidade?

ORÁCULO
Mantenha o Paládio dentro da cidade e ela estará protegida.

ILOS
É com grande satisfação que ouço essas palavras, muito obrigado Oráculo, eu…

ORÁCULO
Espere… (apontando o indicador para Ilos) Se algum dia o Paládio sumir ou for roubado e sair da cidade, com ele, desaparecerá a cidade inteira.

ILOS
Que assim seja, caro oráculo. (Levanta-se e avisa Nicolau das boas novas) Atena será a nossa protetora e nesta colina será erguida a cidade de Troia1!


+++
1- Em homenagem a seu pai, Trós. Chamada por outros de Ílion, o nome de seu fundador.



Continue lendo
< Cena II  |  Cena IV >



+++
O projeto adapta Ilíada e Odisseia para o formato de teatro,  são 38 cenas curtas mas que contam a história inteira, ideal para o ensino fundamental. Uma peça de teatro para que adolescentes possam interpretar essa história, viver parte da nossa pujante herança cultural.





Curta a página da BKCC no Facebook e acompanhe o lançamento!

https://www.facebook.com/bkcclivros/

 

Conheça o novo lançamento da BKCC - ILÍADA e ODISSEIA!